quinta-feira, 9 de outubro de 2008

PIRULITO DE MEL




Pirulito de mel


Este pirulito de mel é uma tradição de família sempre foi ensinado, há várias gerações, para o neto mais velho. O interessante é que mesmo se ensinando para os mais novos, eles não conseguem chegar ao ponto exato e o pirulito nunca atinge o gosto certo. Parece mágica, mas é uma verdade constatada por algumas gerações. Verdade ou coincidência, uma coisa é certa o sabor não é o mesmo. Tenho privilégio de ser o neto mais velho e fazer essa iguaria. Das últimas vezes que consegui fazer tive a curiosidade de tirar algumas fotos das pessoas que consomem e começar a prestar atenção e anotar algumas histórias ou como nós mineiros gostamos “causos” que surgem. Vejam pelas fotos anexas a áurea de envolvimento com o referido pirulito e sintam se não passa uma coisa agradável, independente da idade.

Abraços
José Jaime

2 comentários:

Ivan disse...

Olá Jaime, você fala de coisas simples e bonitas que marcaram minha infância em Juiz de Fora: o pirulito de mel (encravados sobre os furos a ferro quente do tabuleiro de madeira), o Xangai que me levava aos fins de semana com meus familiares, pequenos sitiantes de Matias Barbosa. Morei em Mariano Procópio bem em frente ao Cine Rex que ficava ao lado do Ginásio Mariano Procópio. O bonde, o Rio Paraibuna, a EFCB (Empresa Funerária Caixão Barato rsss) e os queridos fantasmas da minha infância em Juiz de Fora povoam, de forma muito afetuosa, a minha mente. Grande abraço.

Movimento RenoirLutero Livre disse...

Ainda tenho uma forma de fazer pirulitos, doces, duros, puxa-puxa, vermelhos...
Saudações amigo!